home

1ª Reunião do Cuidado do Patrimônio Histórico e Cultural

Em 11 de agosto, foi realizada a 1ª Reunião do Cuidado do Patrimônio Histórico e Cultural da Província dos Jesuítas do Brasil. O encontro virtual, promovido pelo coordenador do Cuidado do Patrimônio Histórico e Cultural, Pe. Carlos Alberto Contieri, SJ, contou com a participação de representantes das obras da Companhia de Jesus no País que trabalham com a preservação de acervos históricos: Colégio Anchieta (Nova Friburgo/RJ), Memorial Pe. Manuel da Nóbrega (São Paulo/SP), Museu Anchieta (Colégio Anchieta, Porto Alegre/RS), Museu de Arqueologia e Ciências Naturais (Unicap, Recife/PE), Museu do Homem do Sambaqui (Colégio Catarinense, Florianópolis/SC), Pateo do Collegio (São Paulo/SP) e o Santuário Nacional de São José de Anchieta (Anchieta/ES).

Também participaram da reunião os jesuítas que dedicam especial atenção a esta temática nos seus respectivos trabalhos e obras: Pe. Alexandre Raimundo de Souza, SJ (Superior do Núcleo Apostólico Bahia), Pe. Luiz Antonio Monnerat, SJ (Superior do Núcleo Apostólico Juiz de Fora/Rio de Janeiro), e Pe. Nilson Marostica, SJ (Superior do Núcleo Apostólico Espírito Santo), além do Paulo moregola (coordenador da Comunicação da Província), e Luciana Mendes Maia (Mobilização de Recursos da Associação Nóbrega de Educação e Assistência Social). Foram, ainda, convidados os padres Eugênio Correia Aguiar, SJ (Mosteiro dos Jesuítas, Baturité/CE) e Pedro Ignacio Schmitz, SJ (Unisinos/RS), que não puderam estar presentes.

Os participantes apresentaram os diversos trabalhos realizados no âmbito da Província e a pluralidade dos acervos de cada instituição. Além disso, o coordenador dos trabalhos, Pe. Carlos Alberto Contieri, SJ, durante sua fala, enfatizou que “é imperativo valorizar a história para construir um futuro que tenha bases sólidas, que tenha raízes e assim possa ser fecundo. Fazer apelo à memória não significa ancorar-se na autoconservação, mas recordar a vida e a vitalidade de um percurso em desenvolvimento contínuo. A memória não é estática, mas dinâmica”.

Na ocasião, foi apresentado o trabalho de parametrização de uma base de dados on-line com o objetivo de catalogar os acervos, de maneira a possibilitar maior integração entre as instituições e o desenvolvimento de um trabalho em rede, em vias da criação de políticas comuns de identificação, cuidado e difusão do patrimônio histórico. O próximo encontro da equipe foi agendado para o mês de novembro e será realizado presencialmente na cidade de São Paulo (SP).

Compartilhe

Últimas notícias