home

Igualdade de gênero é debatida no Colégio Loyola

Alunos do 2º ano do Ensino Fundamental do Colégio Loyola receberam visitas ilustres no dia 31 de agosto. O convite surgiu depois de um questionamento dos próprios estudantes: ao ler uma história em quadrinhos sobre cientistas brasileiros, eles estranharam a presença de poucas mulheres. Em conjunto com a professora Zélia Guimarães, meninos e meninas conheceram um pouco sobre a desigualdade que ainda existe no Brasil e no mundo e tiveram contato com sete mulheres que alcançaram funções de destaque em suas áreas de atuação. Foram elas:

  • Alexandra Gazzinelli, assessora pedagógica da Diretoria Acadêmica do Colégio Loyola.
  • Maria de Lourdes Castelo Branco, professora e pesquisadora aposentada do curso de Farmácia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).
  • Aristhea de Souza Totti e Silva Castelo Branco de Alencar, advogada da União.
  • Kárin Emmerich, desembargadora da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e superintendente da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica.
  • Cláudia Romualdo, coronel reformada da PMMG (Polícia Militar de Minas Gerais), atual secretária de defesa Social de Vespasiano e primeira mulher a ocupar cargo de Comandante de Policiamento da Capital mineira.
  • Mônica Castelo Branco Savernini, tenente-coronel da PM, integrante do quadro de oficiais de saúde, especialista em odontopediatria.
  • Marisa de Oliveira Costa, delegada da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher.

Diante de uma plateia muito curiosa e atenta, elas explicaram que a mulher pode ocupar os espaços que desejar e mostraram a importância de homens e mulheres trabalharem juntos pela ampliação da igualdade de direitos e deveres. Como resumiu a convidada Cláudia Romualdo, “só com muito amor e respeito a gente vai conseguir melhorar o mundo”. Apesar da pouca idade, os alunos manifestaram o desejo de contribuir por um mundo melhor, apontando a admiração que têm pelas mães, avós, tias, professoras e outras mulheres que conhecem. Eles trouxeram para o bate-papo uma preocupação genuína com as estatísticas que demonstram diferença salarial, desproporção de carga de trabalho em casa e também situações de vulnerabilidade enfrentadas diariamente.

O projeto

A ideia da palestra surgiu após a leitura de uma revista em quadrinhos. Essa ação fez parte da atividade Pequenos cientistas, grandes descobertas, que integra o Projeto de Série do 2º ano, Acordando Palavras, em que os alunos são envolvidos em uma proposta de escrever suas reflexões e curiosidades. Cada turma desenvolveu atividades específicas, a partir da leitura da revista em quadrinhos Sim, nós temos cientistas, produzida pela Fundação Carlos Chagas.

 

Fonte: Colégio Loyola (Belo Horizonte/MG)

Compartilhe

Últimas notícias