home

Professor Rafael Sanzio promove palestra na abertura da Semana da Consciência Negra

 

fotoA abertura da Semana da Consciência Negra apresentou na noite desta segunda-feira, dia 19 de novembro, no Museu da Abolição, uma conferência sobre “Geopolítica e Cartografia da Diáspora África-Brasil”, tendo como palestrante o Professor da UnB, Rafael Sanzio (foto). O evento foi originado através da parceria entre o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas da Unicap (Universidade Católica de Pernambuco) com a Fundação Palmares, Fundação Joaquim Nabuco, os Núcleos de Estudos Afrobrasileiros da UFRPE e UFPE, além da Funeso e o Comitê Estadual da Promoção da Igualdade  Étnico-Racial(Cepir/PE).
 
A professora Maria Elizabeth, coordenadora do evento, inicialmente comentou sobre a proposta em desenvolver a Semana da Consciência Negra. De acordo com ela, a ideia em realizar o evento em novembro, é por que a data representa a morte do mais conhecido escravo do Brasil, Zumbi dos Palmares. Além disso, o desejo de promover a cultura dos negros na sociedade, é uma forma de quebrar o preconceito existente. Logo em seguida, a professora ressaltou a importância de promover o evento mais vezes ao longo do ano. “É o meu primeiro ano de gestão, onde meu principal objetivo é conseguir cada vez mais parceiros para expandir e divulgar a cultura negra perante o povo”disse.
 
O Padre Clóvis Cabral comentou sobre a importância em realizar o evento.  Segundo ele, a tentativa de chamar a atenção para alguma experiências inspiradoras que possuímos aqui em Recife e que ajudou a colocar em prática a lei 10.639, no qual torna obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira em todas as escolas brasileiras, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio ajuda na aproximação da África e do Brasil, no sentido de ambos se descobrirem.
 
Em seguida o professor da Unb, Rafael Sanzio comentou sobre “Geopolítica e Cartografia da Diáspora África-Brasil”. O tema está relacionado aos livros lançados por ele de 2007 até 2012 e que estão sendo vendidos por R$100, durante o evento. Os livros são: Cartografia e educação(2007-2008); Quilombos: Geografia africana e cartografia étnica de territórios tradicionais(2009); Territorialidade quilombola(2011); Geopolítica das diásporas África-Ámerica-Brasil(2012).
 
Todos os eventos são gratuitos e abertos ao público e serão realizados no Museu da Abolição (Rua Benfica,1150 – Madalena). As palestras acontecerão pela manhã (9h às 12h) e  à tarde (14h às 17h). No encerramento, no dia 24, será feita uma homenagem ao cantor José Tobias, com a participação do músico Henrique Annes. O evento terá início às 19h30.

Compartilhe

Últimas notícias