home

VI Congresso do Ensino Médio Noturno do Colégio São Luís

Cidadania global: caminhos para humanizar o mundo foi o tema do VI Congresso do Ensino Médio Noturno, realizado nos dias 24, 25 e 26 de outubro no Colégio São Luís, em São Paulo (SP). De palestras a apresentações artísticas, o congresso mergulhou nos desafios e soluções para promover uma educação comprometida com a cidadania global.

O tema central esteve relacionado diretamente com as celebrações dos 80 anos do Ensino Médio Noturno e se desdobrou em três eixos: O papel da Companhia de Jesus na Formação do Cidadão Global; A cidadania global e a formação integral dos estudantes da RJE (Rede Jesuíta de Educação Básica) e A cidadania global – práticas, vivências e mão na massa.

Durante a abertura, estiveram presentes toda equipe pedagógica do Ensino Médio Noturno e os diretores do Colégio, Pe. Edison de Lima, SJ, Irineu de Jesus Villares e Beatriz Helena de Arruda Pereira Gallian. Em sua fala, o Pe. Edison enfatizou que o tema do congresso faz eco ao que foi deliberado na 35ª Congregação Geral da Companhia de Jesus em 2008. Naquela ocasião, os jesuítas refletiram sobre a missão de servir a Cristo em um contexto global, sublinhando a importância de atuar como um corpo universal com uma missão universal. “Ao comemorar os seus 80 anos de existência e propor ‘Cidadania global: caminhos para humanizar o mundo’ como tema deste congresso, o Ensino Médio Noturno dialoga com essa missão (de servir a Cristo em um contexto global) e concretiza parte do que foi desejado pela Companhia de Jesus. A fim de alcançar essa cidadania global e humanizar o mundo, é essencial ter um ‘duplo olhar’ – global e local. Devemos construir, a partir do cotidiano, as transformações capazes de humanizar o mundo”, disse.

No primeiro dia do encontro, sob o subtema O papel da Companhia de Jesus na Formação do Cidadão Global, os estudantes assistiram a uma palestra ministrada pelo Pe. Elton Vitoriano Ribeiro, SJ, reitor da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (Faje), deBelo Horizonte (MG). Em sua explanação, ele destacou os dez Identificadores Globais dos Colégios Jesuítas. Após a palestra, os alunos desfrutaram da encenação Pisar suavemente na Terra.

A palestrante convidada para o segundo dia do congresso foi Mariângela Risério D’Almeida, diretora-geral do Colégio Antônio Vieira, de Salvador (BA), que abordou A cidadania global e a formação integral dos estudantes da RJE. Para enriquecer o tema e trazer um panorama histórico, a professora rememorou o período em que Padre Arrupe, SJ, incentivou a renovação da Companhia de Jesus e do apostolado educacional, alinhando-os às resoluções do Concílio Vaticano II. Em destaque, Mariângela apontou o terceiro identificador global dos colégios jesuítas, que preconiza: “Os colégios Jesuítas estão comprometidos com a Cidadania Global”.

Em seguida, os estudantes fizeram a apresentação teatral Com quantos homens se faz um mundo?. A peça trouxe reflexões sobre o papel de cada indivíduo na construção de um mundo melhor, destacando a responsabilidade que cada um carrega na edificação da cidadania global. No último dia, sob o tema A cidadania global – práticas, vivências e mão na massa, Vinícius de Menezes Fabreau, educador e coordenador do projeto Pão da Solidariedade pelo Sefras (Ação Social Franciscana), compartilhou suas experiências. Tendo atendido mais de cinco mil crianças em 11 anos, Maickon Jhons Serra, fundador e educador do projeto Santa Fé Hunters, destacou o esporte como ferramenta de inclusão social e contou como a atuação na fundação localizada no Grajaú transformou a vida de muitos jovens através da prática do basquete.

Um dos destaques da noite foi o espetáculo apresentado pelos estudantes, Cidadania global em ação: histórias inspiradoras de defensores dos direitos humanos. A encenação evidenciou histórias de pessoas comprometidas com a promoção de um mundo mais justo e na defesa de valores baseados no respeito aos direitos humanos. Nesse momento, eles lembraram Nelson Mandela, Marielle Franco, Irmão Olavo, SJ, Malala Yousafzai, Martin Luther King, Padre Júlio Lancellotti, entre outros.

No encerramento, a coordenadora pedagógica, Fátima Aparecida Ribeiro, e o Pe. Gustavo Valentim Assis de Paula, SJ, expressaram seus agradecimentos e parabenizaram todos pelo comprometimento e esforço demonstrados. Ao longo dos três dias, os estudantes desenvolveram trabalhos voltados para a temática central do congresso. Para isso, utilizaram diversos meios de apresentação, como vídeos, fotografias, poemas, entre outros, para expressar suas perspectivas e contribuições, que integradas no currículo, tiveram no evento um momento importante para juntar esforços para humanizar o mundo.

Fonte: Colégio São Luís

Compartilhe

Últimas notícias