home

Fundação Padre Leonel Franca recebe medalha na Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Na última segunda-feira (20), a Fundação Padre Leonel Franca (FPLF) recebeu a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, em reconhecimento por suas contribuições à comunidade carioca na área educacional e sociocultural. A solenidade aconteceu no Salão Nobre da Câmara Municipal do Rio de Janeiro (RJ), e contou com a participação da Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro (Orquestra Residente da PUC-Rio).

A homenagem foi proposta pelo vereador Rafael Aloísio de Freitas. Em seu discurso, ele falou sobre a história dos jesuítas no Rio de Janeiro e da possibilidade de parcerias com a Fundação. “Acho que podemos avançar em alguns projetos de pesquisa. A Fundação pode ter um papel muito importante aqui para a cidade também, para a gente fazer essa junção de forças da Fundação com a Escola do Legislativo carioca, coordenada pela Câmara, para conseguirmos avançar em vários temas da casa e da cidade”.

Pe. Roberto Barros Dias, SJ, presidente da Fundação Padre Leonel Franca, fez o seu discurso da tribuna Marielle Franco. Agradeceu ao vereador Rafael e também ao vereador Carlo Caiado, ex-aluno da PUC-Rio e atualmente presidente da Câmara. “Estou ciente que presidir uma Fundação em parceria com uma Instituição, como a PUC-Rio, que coloca a ciência a serviço da comunidade e empenha-se para a construção de uma sociedade mais justa e fraterna, é uma grande responsabilidade e, ao mesmo tempo, uma alegria. Sinto-me confortável e tranquilo, por saber que a FPLF e a PUC, andam de mãos dadas e que não estamos sozinhos. Há muitos que abraçam nossos projetos, por acreditar que a educação é uma das trajetórias mais eficazes para humanizar o mundo e nos levar a uma nova sociedade acolhedora, que promove a solidariedade universal, a compreensão, o diálogo e o cuidado para com as pessoas e a nossa Casa Comum, toda a criação (como nos lembra o Papa Francisco, no Pacto Educativo Global). Somos muitos e contamos igualmente com muitos, que tenham uma característica necessária para se construir um ambiente saudável e um futuro melhor: devem ser realistas, cientes de quem são e do que querem, e ao mesmo tempo, esperançosos e animados para continuar comprometidos com nossa memória e com o nosso ‘contínuo fazer história’, simultaneamente: na PUC, na FPLF e na Cidade do Rio de Janeiro”, afirmou.

Compartilhe

Últimas notícias