home

20 traços distintivos da Pedagogia Inaciana

Por Pe. Luiz Fernando Klein, SJ, assessor pedagógico da Rede Jesuíta de Educação Básica (RJE)

1. Enfoque: A educação inaciana é considerada não apenas um serviço humanitário, mas uma missão, um serviço apostólico na Igreja Católica. Nos aspectos externos essa educação pode se assemelhar às instituições educativas congêneres, mas se desenvolve com um  enfoque preciso.

2. Mística: O motor impulsionador, motivador do apostolado educativo, é a espiritualidade inaciana. É o conjunto da experiência,  dos escritos e das orientações de Santo Inácio de Loyola, aplicado à educação, destacando-se como sua fonte mais original, os  Exercícios Espirituais.

3. Critério: O princípio e o instrumento para decidir sobre objetivos, processos e meios do itinerário educativo é o discernimento espiritual, conforme as orientações deixadas por Santo Inácio.

4. Meta: A educação almejada é integral ou pluridimensional, vitalícia e formadora de pessoas de cidadania global, empenhados numa ação transformadora de serviço aos outros. São as pessoas imbuídas dos chamados 4 Cs: conscientes, competentes, compassivas e comprometidas.

5. Orientação central: Trata-se de educar para a justiça e a reconciliação, inspirada pelo Evangelho, como foco fundamental de todo o processo formativo inaciano.

6. Pedagogia: O embasamento pedagógico provém sobretudo do  ´Modus Parisiensis´ e hoje consta de uma tríade documental:  Características da Educação da Companhia de Jesus (1986), Pedagogia Inaciana. Uma proposta prática (1993) e Colégios Jesuítas. Uma tradição viva no século XXI (2019).

7. Didática: O ensino e aprendizagem são um processo personalizador, de pesquisa e construção do conhecimento, de modo pessoal e coletivo, no qual o educando é o primeiro interessado na sua formação, protagonista da construção de si mesmo, promotor da  transformação da realidade.

8. Aprendizagem: Ela se desenvolve através de cinco vivências que  compõem o Paradigma Pedagógico Inaciano (PPI): Contextualização, Experiência, Reflexão, Ação e Avaliação.

9. Ensino: O educador busca orientar, incentivar e acompanhar o trabalho do estudante, evitando doutriná-lo ou impor-lhe as próprias ideias.

10. Diferencial: Os valores evangélicos distinguem este serviço educativo, considerando-se que nenhuma educação é neutra ou asséptica.

11. Conteúdo: A matéria da educação inaciana é toda a criação, porque esta é boa e está ´prenhe´ da presença de Deus. Por isso, o estudo da criação deve causar assombro, admiração e corresponsabilidade.

12. Contexto: Seja qual for o estrato socioeconômico dos alunos, os pobres, os carentes dos bens indispensáveis para uma vida digna, independentemente de seu valor moral, constituem o contexto da educação oferecida.

13. Cenário: O clima, o ambiente, a programação, o funcionamento, as relações entre os integrantes de uma instituição educativa configuram a ´maquete´, o ensaio da sociedade reconciliada que se pretende construir.

14. Facilitadores: A relação educandos e educadores constitui a peça-chave do processo educativo, interagindo como companheiros de aprendizagem, exercendo a cura personalis, o cuidado integral da pessoa, obra prima de Deus, portadora de dignidade que ninguém  pode lhe outorgar e tampouco subtrair.

15. Marca: Este modelo educativo é reconhecido pela ´inacianidade´, lógica consequência do carisma que deve animar o serviço que Deus e a Igreja requerem dos jesuítas.

16. Âmbito: A escola inaciana, além do educando, procura atender também suas famílias, os educadores, dirigentes, funcionários, antigos alunos e benfeitores, que constituem uma Comunidade Educativa.

17. Organização: Jesuítas e leigos desempenham o seu trabalho educativo em colaboração mútua, ora na liderança, ora no serviço.

18. Irradiação: As instituições educativas Jesuítas voltam-se para a realidade circundante – vizinha e regional – articulam-se em redes com as instituições sintonizadas com os mesmos ideais, dentro ou fora da Companhia de Jesus e aderem à convocação do Papa Francisco para a criação do Pacto Educativo Global

19. Horizonte: A busca do magis, da excelência humana, da educação de qualidade, como resposta agradecida e generosa ao amor recebido de Deus é o horizonte que ilumina o trabalho educativo.

20. Referencial: Elemento de convergência do processo educativo são a pessoa e o ensinamento de Jesus Cristo, modelo de vida humana mesmo para aqueles que não professam a fé cristã.

* Texto apresentado no evento comemorativo dos 40 anos da Fundação Padre Leonel Franca (FPLF), na PUC-Rio (RJ), em maio, durante a sua palestra  Inspirações a partir do Pacto Educativo Global à luz da Pedagogia Inaciana.

Fonte: Centro Virtual de Pedagogia Inaciana

Compartilhe

Últimas notícias