home

Nota de pesar pelo falecimento do Pe. Pedro Biondan Maione, SJ

É com profundo pesar que a Província dos Jesuítas do Brasil comunica o falecimento do Pe. Pedro Biondan Maione, SJ, ocorrido na noite de quinta-feira (30), às 22h20, na cidade de Fortaleza (CE). O Pe. Maione nos deixou aos 97 anos, após ter dedicado 78 anos de sua vida à Companhia de Jesus.

Nascido em 11 de março de 1926, no município de Verona (Itália), o Pe. Maione iniciou sua jornada na Companhia de Jesus ao ingressar no Noviciado da então Província Veneto-Mediolanense, em Lonigo (Itália), no dia 07 de junho de 1945. Ao final do biênio, professou seus votos como escolástico e foi destinado para o Juniorado em Gallarate (Itália). Entre os anos de 1950 e 1954, o jesuíta dedicou-se aos estudos filosóficos, passando o primeiro em Malta e os três anos seguintes no Japão. Posteriormente, foi destinado para a Teologia em Dublin (Irlanda), onde permaneceu de 1954 a 1958. 

O jesuíta foi ordenado em 04 de julho de 1957, em Chieri (Itália), pela imposição das mãos do cardeal Fossati. Após a ordenação, foi designado para estudar línguas e literatura em Veneza (Itália), onde permaneceu até ser enviado para a Terceira Provação em 1962, em Murcia (Espanha). 

Ao retornar a Veneza, Pe. Maione professou os votos finais em 15 de agosto de 1963 e iniciou os preparativos para sua vida missionária no Brasil. Chegou a Salvador (BA) em 06 de fevereiro de 1964. Sua primeira missão no Brasil foi como professor no Colégio São Francisco de Sales (Diocesano) em Teresina (PI), onde permaneceu por dez anos. Durante esse período, desempenhou um trabalho social significativo na periferia da cidade. Em 1968, deixou a função no Colégio para se dedicar inteiramente ao trabalho social no bairro Cristo Rei, onde estabeleceu um centro de atenção social. Pouco tempo depois, o arcebispo de Teresina criou a Paróquia Cristo Rei e nomeou Pe. Maione como seu primeiro pároco.

Depois de dez anos de intenso apostolado em Teresina, o jesuíta teve uma breve passagem (1974-75) pela Paróquia de Alfredo Chaves, no Espírito Santo. Posteriormente, dirigiu-se a Belém (PA), onde permaneceu apenas por alguns meses apoiando a missão local. Em 1975, retornou à capital piauiense para reassumir a Paróquia Cristo Rei. Durante esse segundo período, que se estendeu de 1975 a 1985, expandiu significativamente o Centro Social. Seu exemplo e envolvimento com os jovens da região resultaram em diversas novas vocações para a vida religiosa, especialmente para a Companhia de Jesus.

Em 1985, a gestão da Paróquia foi entregue ao clero secular e o Pe. Maione foi destinado para São Luís (Maranhão), onde atuou como superior da comunidade e pároco da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios. Após dois anos de missão em terras maranhenses, concederam-lhe um ano sabático. Passou seis meses na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma (Itália), e outros seis em Itaici (Indaiatuba/SP), ambos dedicados ao aperfeiçoamento para o acompanhamento espiritual inaciano. Concluído o ano de preparação, em 1988, foi destinado a Salvador. 

Enquanto colaborava no Colégio Antônio Vieira, ele aproveitou esse período para coletar materiais e estabelecer uma biblioteca especializada em Exercícios Espirituais e espiritualidade inaciana. Orientava várias experiências relacionadas aos Exercícios Espirituais e foi o ponto de partida para a fundação do Centro Inaciano de Espiritualidade (atualmente conhecido como SIES-Salvador). Durante esse período, viajou para a Itália em busca de contatos e recursos para o Centro, mas foi surpreendido por outra urgência apostólica e foi designado para a Albânia, com a missão de reimplantar a Igreja local.

De forma surpreendente, integrou parte da primeira equipe de jesuítas que, a partir de 1991, preparariam na Albânia, desde seus alicerces, a reimplantação da Igreja naquela sofrida nação. Foram três anos de árduo trabalho. Após cumprir a missão na Albânia, voltou a Salvador em janeiro de 1994 para dirigir o recém-criado CIES, situado nas dependências da residência de Santo Antônio da Barra. Lá, organizou estudos inacianos, orientou retiros, criou um clima de espiritualidade em grupos de leigos que até hoje vivem esta missão. 

Salvador foi seu local de missão por muitos anos até que, em 2016, foi destinado de volta a Teresina para atuar como diretor do CIES naquela cidade. Simultaneamente, exercia a função de assistente espiritual de alunos e antigos alunos do Colégio Diocesano.

Desde 2019, o Pe. Pedro Maione residia em Fortaleza (CE), na Comunidade de Saúde e Bem-Estar São Luiz Gonzaga. Ali, cumpria a missão de cuidar da saúde e rezar pela Companhia, mas também exercia ministérios ordenados e orientação da Associação de Antigos Alunos. Com uma personalidade firme e decidida, Pe. Maione sempre se mostrou disponível para todo tipo de missão que lhe foi confiada. Conhecedor profundo dos Exercícios Espirituais, auxiliou muitos, especialmente pessoas leigas, seminaristas e religiosas, a encontrar a Deus através dos Exercícios Espirituais e do discernimento, cumprindo bem uma das atuais Preferências Apostólicas Universais da Companhia. 

A celebração de Exéquias aconteceu nesta sexta-feira (01º), na Comunidade de Saúde e Bem-Estar São Luiz Gonzaga, em Fortaleza, às 13h30. O sepultamento aconteceu, às 15h, no cemitério Parque da Paz, em Fortaleza.

A Província do Brasil se solidariza com os familiares e amigos do Pe. Maione.

Compartilhe

Últimas notícias